sexta-feira, 10 de julho de 2015

Nova-especie-de-ave-descoberta-no-sul-ja-esta-ameacada-de-extincao

RIO - Quase dois séculos depois de ser descoberta, no Sul do Brasil, a patativa-verdadeira (Sporophila plumbea) ganha uma “parente”. Pesquisadores da PUC-RS descobriram a patativa-tropeira (Sporophila beltoni), que era confundida com a outra espécie.
— A patativa-tropeira é um pouco maior do que a verdadeira (que tem cerca de 10 centímetros de comprimento) — destaca Márcio Repenning, biólogo e pesquisador do Laboratório de Ornitologia do Museu de Ciências da PUC-RS, um dos responsáveis pela análise da tropeira, iniciada há oito anos. — A cor do bico, o canto e a plumagem também são diversificados.
A maior diferença, no entanto, é o habitat. A patativa-verdadeira é uma espécie típica do Cerrado. A tropeira, por sua vez, passa o período de reprodução, de novembro a março,NOS campos de altitude associados a florestas com araucárias no Sul do país. No inverno, com o frio e a redução na disponibilidade de alimentos, como as sementes e pequenas aranhas e cupins, a ave migra para o Cerrado.
Enquanto a patativa-verdadeira é numerosa, a nova espécie já figura na lista das ameaçadas de extinção. O principal motivo é a pressão urbana sobre a área em que se reproduz. Com o avanço desordenado de culturas agrícolas, o barramento de rios para geração de energia e o plantio de espécies exóticas, apenas 3% da coberturaORIGINAL das florestas com araucárias estão preservados.
— A tropeira precisa de áreas específicas para se reproduzir, que invariavelmente estão próximas a matas ciliares dos campos com araucárias — ressalta Repennin. — Por isso é necessário conservar esse ecossistema tão ameaçado.
De acordo com técnicas de geoprocessamento, o biólogo estima que existem apenas 4,5 mil casais de patativas-tropeiras na natureza, um número considerado muito baixo. Ele defende a criação de unidades de conservação nas áreas habitadas pela ave.
O estudo, realizado com apoio da Fundação Grupo Boticário, foi publicado na revista “The Auk – American Ornithologists’ Union”.


Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/saude-e-ciencia/nova-especie-de-ave-descoberta-no-sul-ja-esta-ameacada-de-extincao-13437652.html#ixzz3fX4BvFZS

Phyrrhura molinae - by Instinto


Mato Grosso
   As aves não conhecem fronteiras, menos ainda as convencionadas pelo Homem para delimitar nações, pelo que a terra natal do Pyrrhua molinae é tão abrangente que abarca três países, Argentina, Bolívia e Brasil. Mas que não se confunda esta ave com o célebre Zé Carioca da BD, pois, no Brasil, a sua morada fica no Mato Grosso, bem longe do Rio de Janeiro. É um galhofeiro que gosta da confusão de grandes bandos, verdadeiras manchas de verde sobre o topo das aves. Há falta dessa liberdade, é feliz em cativeiro, desde que reunidas algumas condições, todas elas mais ou menos dependentes de um único fator: afetividade. Também conhecida como Conure de Face Verde, o Pyrrhura molinae é uma divertida ave de pequenas dimensões, com 25,5 centímetros de comprimento máximo, que interage e se liga emocionalmente à sua família humana.
Bater um papo 
   Carinho, atenção, respeito e muita conversa fazem com que não sinta falta dos seus pares e se sinta à-vontade para dar largas aos seus dotes sociais. O segredo está em dispensar- -lhe atenção diária, pois não se safa com a simples limpeza da gaiola e com refeições a horas, até porque o Pyrrhura molinae é conhecido pela sua inteligência. Ainda que não seja demasiado barulhento, é um alegre palrador, capaz de assobiar, dizer palavras soltas, imitar sons do quotidiano, músicas e até de aprender, com entusiasmo, alguns truques. Aproveite as aulas para lhe ensinar algum treino básico. Sabendo responder a certas ordens, poderá soltá-lo todos os dias durante algumas horas, nas quais aprecia andar ao ombro do dono.
Sambódromo 
   Pela docilidade e pelo prazer que tiram da companhia humana, é fácil mantê-los em cativeiro, onde, desde que bem tratados e regularmente vigiados pelo veterinário, podem viver duas a três décadas. Sementes, fruta e uma variedade de legumes frescos garantirão a sua saúde e boa disposição, que parecem proporcionais à sujidade que lhes é típica durante a hora da refeição. A sua voracidade pode manifestar-se em obesidade, pelo que as quantidades têm de ser doseadas. Para desfilar a sua alegria,ESTA ave não necessita de um grande ‘sambódromo’, desde que possa passear livre e diariamente durante algumas horas. Se não for esse o caso, a gaiola terá de ser bem maior, paraPERMITIR que faça o exercício físico de que necessita.
Cara bacana 
   Na cara, esta ave distingue-se pelas faces verdes, que ladeiam o bico cinzento-escuro. Abaixo deste, o peito é tipicamente cinzento, tom que ganha laivos de vermelho na zona abdominal. Uma aparência agradável que rima com o seu temperamento ‘bacana’. Todavia, há um senão. O Pyrrhura Molinae é um verdadeiro roedor, o que acaba por ter o seu lado destruidor. Um treino sistemático e muita atenção resolvem facilmente a questão, bem como uma boa coleção de brinquedos de roer.
A turma dos verdes 
   A procriação é fácil, mesmo em cativeiro e pode esperar-se entre quatro a seis ovos por postura.
Retirado do site - instinto http://www.instinto.pt/aves/phyrrhura-molinae

terça-feira, 16 de junho de 2015

Ninhos artificiais e comedouros para aves


"Os ninhos artificiais são cada vez mais importantes para proteger as aves. A pressão exercida pela indústria, agricultura, desenvolvimento das cidades, etc, fazem com que as aves fiquem muitas vezes impossibilitadas de nidificar, porque não têm lugar para se estabelecer.
As aves são fundamentais para o equilibrio dos ecossistemas, quer seja num pequeno jardim ou numa grande propriedade agrícola, pelo papel "

sábado, 30 de maio de 2015

Câmara de Albufeira instala ninhos de aves para controlar lagarta do pinheiro

Autarquia quer atrair chapins, uma ave que se alimenta da processionária ou lagarta do pinheiro, um insecto que pode causar problemas de saúde graves.

A Câmara de Albufeira está a instalar ninhos em jardins públicos e escolas para tentar atrair chapins, pássaros que se alimentam da lagarta do pinheiro, uma forma biológica de controlar a proliferação da processionária.
Segundo o vice-presidente da autarquia, José Carlos Rolo, a processionária (conhecida como lagarta do pinheiro) é uma ameaça para a saúde pública devido à acção urticante dos seus pêlos, que podem provocar reacções alérgicas na pele, nos olhos e no aparelho respiratório.
Os ninhos artificiais para atrair os chapins começaram a ser instalados em novembro nos pinheiros de algumas escolas e jardins públicos de Albufeira, mas a autarquia espera, numa primeira fase, instalar cerca de 40 ninhos, a fim de se evitar o abate dos pinheiros.
"É um processo longo, em que temos de ser muito pacientes", admitiu aquele responsável, sublinhando que ainda não se sabe se a experiência vai ter sucesso, devendo haver resultados mais concretos durante a Primavera, que é também a época em que surgem as lagartas.
Uma das ideias da autarquia é que, nas escolas, o projecto conte também com a participação dos alunos, convidados a registar num caderno as movimentações das aves, embora esteja também a ser equacionada a instalação de câmaras de microfilmagem para monitorizar a situação.
A processionária é um insecto desfolhador dos pinheiros e cedros que pode, em determinados estádios do seu desenvolvimento, provocar danos nas árvores e graves problemas de saúde em humanos e animais domésticos, quando se situam perto de locais habitados ou frequentados pela população.
O projecto resulta de uma parceria entre os serviços de Ambiente, Higiene Urbana e Espaços Verdes e o Parque Natural da Ria Formosa. Os estabelecimentos de ensino, hoteleiros ou outros interessados em aderir ao projecto devem contactar aqueles serviços da Câmara de Albufeira.
Em 2010, a Câmara do Seixal desenvolveu um projecto semelhante para controlar a proliferação da lagarta-do-pinheiro de forma natural, incentivando a instalação de chapins nos espaços verdes do concelho.

Mais sobre o assunto:

Peça ajuda aos chapins no combate da lagarta do pinheiro from Quercus on Vimeo.

domingo, 24 de maio de 2015

A PAIXÃO PELAS AVES | Música e Imagem | Simbiose perfeita

Depois do livro, "a paixão pelas aves, desde trás-os-montes", Agora a reporTageM na RTP sobre o meu trabalho de fotografia de natureza! Agradeço à Sílvia e ao Simão a vossa paciência e como conseguiram sintetizar de forma brilhante o que faço!
Mostrar a minha A Paixão pela Fotografia e o Lago dos Pássaros



 é mais um sonho concretizado...e mais uma vez, com a ajuda da amiga Daniela.
Espero que tenham gostado, tanto quanto eu!
O caminho faz-se caminhando...
"Um sonho que sonhes sozinho é apenas um sonho. Um sonho que sonhes em conjunto com outros é realidade.", John Lennon
Muito Obrigado a todos...
 — com João CosmeJoão EdgarJoão BrancoRui SantosPaulo SantosJosé DiogoMaximiano AlvesBrigas Filipe e Alexandre Favaios.

terça-feira, 5 de maio de 2015

Um CRIME horrível sobre as aves e a NATUREZA ... "Aves engarrafadas ..."

"Aves engarrafadas: Como insensível contrabandistas empinar cacatuas em garrafas de plástico para obtê-los pela alfândega

  • Mais de 24 cacatuas Amarelo-com crista em vias de extinção foram resgatados pela polícia
  • Contrabandistas recheadas-los em frascos para chegar pela alfândega na Indonésia
  • Criticamente ameaçadas cacatuas podem ser vendidos por até £ 650 cada
  • Cerca de 40 por cento dos pássaros morrem durante o processo de contrabando ilegal
Mais de 24 cacatuas criticamente ameaçadas de extinção foram resgatados pela polícia após ser encontrado recheado de garrafas de água para o comércio ilegal.
Contrabandistas amontoados os cacatuas Amarelo-com crista em frascos vazios para que eles pudessem obter pela alfândega no porto de Tanjung Perak em Surabaya, na Indonésia.
Mas a polícia indonésias descobriram os pássaros, que podem ser vendidos por até £ 650 cada, e cortá-los livres para que eles pudessem receber assistência médica.
A cacatua de crista amarela foi listada como uma espécie criticamente ameaçada pela União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais em 2007.
Mais de 24 cacatuas criticamente ameaçadas de extinção foram resgatados pela polícia após ser encontrado recheado de garrafas de água para o comércio ilegal
Contrabandistas tinham abarrotado as cacatuas Amarelo-com crista em frascos vazios para que eles pudessem passar pela alfândega no porto de Tanjung Perak em Surabaya, Indonésia
A população é em uma baixa crítica devido ao desmatamento e à caça furtiva e estudos recentes sugerem que pode haver menos de 7.000 indivíduos restantes.
Mais de 10.000 papagaios, incluindo Lories e cacatuas, são capturados na natureza em North Halmahera, a Indonésia, a cada ano para abastecer o mercado interno e o comércio internacional ilegal de animais silvestres.
Cerca de 40 por cento dos pássaros morrem durante o processo de contrabando ilegal.
Assim, para cada 1.000 papagaios capturados no meio natural, 400 aves morreram em vão, durante a caça furtiva, o transporte e o comércio, devido às condições pobres e manuseio cruel.
A cacatua de crista amarela foi listada como uma espécie criticamente ameaçada pela União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais em 2007
A maioria de papagaios são proibidos de comércio internacional, a menos que eles são criados em cativeiro ou permitido pelo país exportador.
Catatuas de crista amarela também reproduzem muito lentamente e põem ovos apenas uma vez por ano. Eles podem produzir apenas dois ovos de cada vez.
Aprisionamento ilegal continua em muitas áreas, incluindo AOPA Parque Rawa Watumohai Nacional, Buton e Kadatua Islands, mas supostamente foi significativamente reduzido em Sumba.
Exploração madeireira em larga escala e conversão da floresta para a agricultura em toda a sua gama exacerbou a queda, e da utilização de pesticidas é mais uma ameaça potencial.
As aves branco podem variar em tamanho de 12 polegadas e cerca de 27 polegadas de comprimento e apresenta um belo crista amarela.
Eles são encontrados em áreas arborizadas e cultivadas de Timor Leste e ilhas da Indonésia de Sulawesi eo Sundas Lesser.
A população está em um baixo crítico devido aos estudos de desmatamento e caça furtiva e recentes sugerem que pode haver menos de 7.000 indivíduos remanescentes
A maioria de papagaios são proibidos de comércio internacional a menos que sejam criados em cativeiro ou permitido pelo país exportador
Catatuas de crista amarela também reproduzem muito lentamente e põem ovos apenas uma vez por ano. Eles podem produzir apenas dois ovos de cada vez "

domingo, 26 de abril de 2015

Programa para Mobil que permite saber quase tudo sobra as tuas criações "Canarygem"

Canarygem

Pode encontrar mais informação em: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.canarygen
ou no facebook em: https://www.facebook.com/canarygen?fref=photo
Dados de cada aves
 Dados sobre as posturas



Possibilita ainda ver dados de GENÉTICA, PERMITE VER COMO ESTA ORGANIZADO SEU PLANTEL ACTUAL ...para quem não tem muito tempo para papeis e cadernos pode ser que esta aplicação ajude a resolver seu problema.

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10203505797076067&set=pcb.10203505798596105&type=1&theater

segunda-feira, 9 de março de 2015

Entre amigos com Ricardo Sútil ...!

Depois de uma visita à Feira dos Passarinhos no Porto e de um bom almoço de convívio onde eu o João , o Tiago , o Francisco e o Ricardo falamos das criações, dos passarinhos de cada um,e uma vez que o dia já estava "pago",  por nossa conta, fomos ver as novas instalações do Ricardo Sútil. 
Mais tarde lembrei-me de juntar as fotos e fazer uma pequena entrevista, tipo, perguntas curtas e respostas o mais concretas possível, porque não é a mesma coisa que estar frente a frente, mesmo assim gostei , porque divulgo o trabalho/hobby dele e ao mesmo tempo mostro um pouco do seu espaço, o resultado está aqui para todos que gostam da ornitologia verem.
 - Qual é o plantel que tens actualmente e número de gaiolas ou voadeiras ?
Actualmente nas minhas novas instalações tenho 38 casais, 3 voadoras e uma para o "desmame" das novas crias, digo (novas) porque anteriormente vivia perto do Marvão onde tinha outras instalações.
 - Das mutações de mandarins que mantens no teu actual plantel, qual delas gostas mais e porquê?
 Como podes ver as mutações são: Diluídos, dorso claro, pasteis e brancos e este ano tenho uns poupas , por curiosidade, mas quero melhorar os que tenho.
A que mais gosto mesmo, são  as que crio!
Fora de brincadeira, tenho um fraquinho pelos diluídos.
 -  Reparei que já estás adaptado as novas tecnologias de iluminação, qual a razão dos leds, e se isso te trouxe já vantagens?
Os leds para mim são fundamentais, possibilitam ter mais horas de luz no local onde tenho as minhas aves,  esse tempo longo de iluminação acaba por ser fundamental na alimentação das crias , pois o ano passado criei sem leds e o número de casais que retiraram aves foi muito menor.
 - Qual a origem genética do teu plantel, no teu ponto de vistas , que vantagem isso tem no teu plantel ?
 - O meu plantel e um pouco diverso na proveniências de aves e (sangues), tenho apostado em criadores nacionais como: Sr. António Magalhães, do Paulo Ferreira, Rui Oliveira,pela qualidade e fiabilidade que as aves apresentam  e algumas aves que vou comprando a outros criadores que vou gostando. Também tenho aves estrangeiras da Holanda, Bélgica, Espanha e Itália, mas de referir que tem a ver com sangues pois a maioria são aves nacionais pois a qualidade dos "tugas" é muito grande. Tenho em vista dentro do standard da classe  mais e melhor o meu plantel  de um modo a poder obter com alguma fiabilidade as aves que gosto.
Não sou uma pessoa de ideias fixas gosto de ler e partilhar ideias com outras pessoas do ramos, apesar de hoje ter uma visão mais exigente dos mandarins por ser também aspirante  juíz de exóticos , classe onde o mandarins se integram.
 - Que sementes e papas utilizas nos teus mandarins, para ti que vantagens há em relação a outras marcas de mercado?
 - A nível de sementes utilizo "Manitoba"
Para mim tem uma qualidade muito boa, pois anterior mento utilizei quase todas as marcas ou mesmo todas, e sem querer desprestigiar ninguém mas tinha um desperdício de comida de cerca de 20 a 30%. Desde que mudei tenho cerca de 5 a 10%
Alem de no meu ver a "Manitoba" ter uma variedade de sementes muito grande na ração
Papas utilizo "whitemolem" (acho que se escreve assim) com um pouco de insectivora e "Cédé" exoticos, adiciono polen de abelha, spirulina, levedura de cerveja e  proteína, as quantidades são fruto da minha esperiencia e balanceado para as minhas aves, pois cada criador sabe o que as suas aves mais gostam e qual o melhor aproveitamento se pode tirar delas.
Muito recentemente estou a experimentar uma nova papa, claro que não dou a todos , pois as experiências como o nome indica tem sempre duas possibilidades, correr bem ou mal, sei que não é a melhor altura para mudanças, pois estou a meio das criações, mas, temos que arriscar, estou apostado em dar o melhor e tirar o maior potencial dos alimentos que forneço aos meus mandarins, todos queremos ser bem sucedidos ano após ano.
Para concluir este magnifica visita feitas pelo Tiago, o João , o Chico e o Osvaldo, gostava agradecer a vista, o almoço que tivemos. Gostava deixar um desabafo, o facto de ter estado algum tempo como presidente do Clube exóticos de Marvão e ter organizado 2 ERUTHRURA, fez de mim um criador, uma pessoa muito melhor, até mesmo no facto de ter a oportunidade de ser aspirante a juiz, deu-me uma visão muito mais alargada com um sentido de responsabilidade no mundo da ornitologia. Pois ao organizares eventos como estes permite-nos ouvir os "desabafos" de criadores, juízes, e até mesmo dos visitantes.Sempre foi o meu objectivo cultivar um a boa ornitologia entre todos os aficionados !

Quero no entanto agradecer ao amigo Osvaldo o enorme trabalho que vem realizado em retratar o de melhor no mundo da Ornitologia!
Foi com enorme prazer que tive na presença de amigos e passar um óptimo dia,  depois de umas trocas de ideias com almoço a mistura, tive o prazer de mostrar as minhas humildes instalações e a minhas aves.

OBRIGADO - Ricardo Sútil.

quarta-feira, 4 de março de 2015

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Entre Amigos com o criador Tiago Benta ...!

Uma visita inesperada. 
Ao acompanhar dois amigos (João Zananar e Francisco Santos (Chico) à "Feira dos Passarinhos " no Porto, onde fomos comprar alguns produtos, depois de uma vista mais demorada à feira apareceu o Tiago com o primo, apresentações feitas, foram ver os passarinhos com o tempo a passar o Ricardo resolveu aparecer também, até morava perto do Tiago e não estava muito longe do Porto. 
Como as conversas são como as "cerejas" o tempo passa rápido e quando demos por isso estava na hora de almoço, como estávamos perto, fomos almoçar perto da casa dos dois (Ricardo, Tiago)  e aproveitando o momento, durante o almoço já fomos alinhavando fazer umas vistas aos dois, para ver os mandarins dos dois.
Resolvi fazer uma espécie de entrevista, que depois alinhavei com calma e resolvi editar com as fotos  
 - Quantos casais tens a criar este ano?
Por norma crio com mais ou menos 33 casais.


 - Quais são as classes ou cores (mutações) que tens.
A maior parte são cinzentos, peitos negros cinzentos e castanhos isabeis e combinação de mutações.
 - Dessas, quais são as que mais aprecias e gostas?
Os mandarins que mais gosto é a clássica ou seja os cinzentos.


Ao visitar as instalações as instalações do amigo Tiago Benta.      
 - Foi a primeira vez que vi mandarins a criar em ninhos de canários (abertos),
nunca pensei que eles criassem assim , porque sempre vi em caixa
ou por dentro ou por fora.

 - Quais são as principais vantagens na criação com os ninhos de canário e se quiseres explicar o porque?
Quando comecei a criar mandarins, já o meu pai criava canários à muito tempo e sempre me habituei-me a ver aquele tipo de ninhos nas suas criações, não sei se foi por influencia do meu pai adaptei-os às minhas gaiolas.

São ninhos que não são novos, eram das minhas antigas gaiolas que só tinham uma porta e assim era mais fácil coloquei a rede à volta que era para os pequenotes não saltarem e assim não fazia furos na grandes
e o ninho cabe melhor do que nas caixas castanhas, passado algum tempo, passei no natal e na passagem de ano com o meu avo a por a rede a volta para proteger melhor as crias.


 - Na tua opinião que influencia tem o teu método na criação?
Antigamente criava sempre assim e criavam perfeitamente e muitas vezes eles não querem as caixas eu coloco os dois tipos e eles fazem o ninho onde quiserem, com estes ninhos as aves conseguem me ver quando tão no ninho no choco por exemplo, isso faz com que fiquem mais calmas quando estou a limpara a afazer as manutenção (água, comida, papa etc).   ou quando tenho visitas como hoje, não se assustam com tanta facilidade quando as pessoas passam.



As linhas que o Tiago tem no seu plantel, são 3, algumas aves Nacionais e outras de linhas estrangeiras (Espanha e Inglesa), privilegia aves de boa qualidade porque os resultados são mais sólidos e mais consistentes.



Já aderiu às novas inovações,metade das suas gaiolas já têm leds como se pode ver nas fotografias. 

Quero agradecer o magnifico dia que passamos, desejo boas criações e bons resultados.